domingo, 12 de setembro de 2010

Indiferente



Os dias passam sem fazer diferença,
o mundo gira, mas pra mim, ele ainda está parado.
O tempo, o jeito, a dor e a angústia
Tudo parece dar as mãos e cantar sobre meu leito.
Meu coração grita por aquele invisível
Não virá, por mais que minha garganta tente chamá-lo.
Eu quero fazer de tudo isso um sonho ruim
Acordar para te ter em meus braços.

O vento faz ruídos em minha janela
Trazendo uma canção assassina sobre nós dois
Ela vem me castigar, me arranhar
Sangrando pelos lençóis brancos.

Estou me entregando a toda essa sombra
Não tenho mais medo, apenas receio
Para longe, perto do mar, carregue-me.
Para longe de você, sem ânsias constantes.
Sou a incógnita do universo humano
Sem amor, sigo assim, só.
Meu canto é apenas para os mortos
De tudo isso, apenas não te quero ao me lado.

Nayara K.
(Lady Byron)

2 comentários:

Mateus Araujo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mateus Araujo disse...

FODA!