quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Enigmas para Don Juan II

É homem sedutor. Hoje me tens. Mesmo com aquele seu sotaque arrastado, e aquela voz rouca. Mesmo com esses cabelos sedosos e essa boca delicada. É, hoje me tens, nobre amante. Mas, creio eu que não sabes metade de minhas finas habilidades.
Beba esse vinho, repouse tua cabeça em meu ombro, durma como uma criança no seio de sua mãe. Esqueça o mundo, esqueça o porque de estar aqui. Esse pseudônimo que me esconde, não surge efeito a ti. Tu és tão maligno, maldito e sedutor.
Não te reprimas, nobre amante. Serei a tua mais bela rosa, vermelha, cheia de espinhos, aquela que dilacera a carne de seus dedos quando tocada com ódio. Aquela que tem perfume doce e que encanta. Aquela que engana á você e a ela mesma.
Recorde-se das noites em que dividimos o mesmo travesseiro, e julgamos os dogmas, excomungamos santos, amamos demônios e fizemos do Sol um insolente. Recorde-se das noites em claro, em que viajamos aos céus, sem sair do lugar.
Não me tens mais, nobre amante. A sua doce Rosa só deixou á você um punhal...Um punhal e uma ferida no peito. Aberta. Sangrando e mostrando a sua carne fédida. Um prato cheio aos vermes e varejeiras que irão pousar em cima de ti. Não mais eu, nobre amante. Não mais...


Lady Byron

4 comentários:

Mateus Araujo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mateus Araujo disse...

amo sua habilidade de compor com pronomes tu e vós *__*

Banda disse...

LINDUUU D+

Mateus Araujo disse...

Srta Rosa aromatizada de belza poética, putrido ser que te fez infeliz, porém te fez a poetiza com maior estrondeante glamour. Magnamico dom. Jamais ouse parar. Bjo *Teus*