quarta-feira, 27 de maio de 2009

Perfume


Essência análoga a ânsia,
Causa-me cóleras o cheiro que perfume meus pulmões,
Que centraliza-me sobre a repugnância
Que faz juras ao redor de ladrões.
Os doentes ão de espiar-te
Dominar o olfato da terra e saudades
Flores de veneno a apedrejar-te
Num mundo envolto de grades.
Meu cheiro que esbroa sobre minha chaga
Essência inebriante da mão que te afaga
Afasta-te de mim, teu beijo eu escarro
E do doce ar que baila, o fedor do cigarro.
Não necessito de mais estímulos a vida,
A ti e a teu cheiro minha alma espera
E não importa se há uma tumba caída
Pois tu não és anjo nem és fera.
É mais uma essência perdida
No mundo grotescos dos ardores do cheiro
E adoradores da misericórdia vivida,
Em que se resume em um único beijo.
Lady Byron
(Nayara K.)

4 comentários:

Mateus Araujo disse...

"A ti e a teu cheiro minha alma espera
E não importa se há uma tumba caída
Pois tu não és anjo nem és fera.
É mais uma essência perdida".

Minha cheirosaa
tua essência é mais do que um perfume. é o amor!
;*

Ademerson Novais disse...

hum amiga venho aqui novamente agradecer a estes teus lindos textos que diferente de muitos são uma sentinela...que escreve utilizando outras armas....mais que formenta a mesma coisa tão bela...bem quero sim que vc mande os ultimos capitulos para meu email..e que continue colocando aqui amiga o restante..sei que sou culpado tambem por que vinha aqui lia os textos e não comentava..mais quero o desfecho da historia..a contradição de seus textos fortes..com uma narrativa leve....simples e bem recheada de sentimentos....

Não desista amiga por favor..a meses atras me escrevi num concurso nbo exterior..começei um texto...mais depois o parei e só o retomei agora...depoius que amigos e familiares me pediram para seguir...não desista amiga...

bem eu colocarei parte dele no meu blog e te convoco para ir lá quando poder deixar seu comentario que sera de suam importancia para mim...


Ademerson Novais de Andrade
e quero meus textos..

O Profeta disse...

Mil caminhos
Esta viagem sem velas nem vento
Este barco na bolina das ondas
Esta chuva miúda transborda sentimento

Amarras prendem o gesto
Arrocham um coração que bate incerto
Uma gaivota retoca as penas com espuma
Levanta voo em rumo concreto

Partilha comigo “100 Anos de Ilusão”


Mágico beijo

A.S. disse...

Em todo o seu patético e indcente esplendor, essências fétidas, flores de veneno e fumos negros, o beijo há-de ressurgir entre o desejo e a fúria!...


Beijos!