quarta-feira, 31 de março de 2010

Together Again


Sem a pressa de remediar o que já foi lastimável
Foram tantos os passados que me assombraram
E nada temo mais, nem mesmo os anjos negros,
E choro lágrimas escarlates que borram o rosto.

É o mesmo som de piano que vem me inebriar,
É o mesmo grito sem voz que reverbera meus ouvidos.
Nunca pensei em sentir tão forte a vontade de te abraçar.
E um dia, estaremos juntos novamente.

Sento sobre o leito de mármore em que repousas
Tão gelado como tua pela alva,
Música exagerada de violinos estridentes,
Mas espere por mim, meu amor, é apenas um sonho.

Logo deitarei sobre teu colo,
Rezo para que isso não demore e não me corrompa,
A espera de ter ter comigo para sempre
Em um universo de espíritos, tão infinito.

Nayara K.
(Lady Byron)

5 comentários:

Olavo disse...

È..nada me assombra mais..
Um dos poemas que mais me identifiquei
beijos

Mateus Araujo disse...

senti renovação...
<3 nariguda u.u

Mateus Araujo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel Braga disse...

Que isso, não se preocupe quanto a demora, o que importa é que ainda se lembra de mim :)
Seu poema é lindo e a foto, acho que nem preciso comentar... adoro ruivas. HAha.

~Até a próxima, obrigado pela força.

*DB*

jefhcardoso disse...

Do seu comentário em meu blog: Lady Byron, foi um prazer. Muito obrigado; é bondade sua. Abraço!

Do seu Together Again: Destemor dos anjos negros, confissão da saudade, mármore frio, espíritos.
Seria essa uma saudade irremediável ou apenas um poético delírio? O que acontece, suave Lady Byron?

Jefhcardoso