quinta-feira, 16 de abril de 2009

Lullaby


Mãos trêmulas me impedem o sentimento,
Dedos gelados não me dão o movimento,
E as lágrimas que escorrem por isso, e outros motivos
Que não me dão trégua, o malfeito dito.

Tens uma voz doce que entrega-me á alma
Não há porquê, não há alguém que acalma
Sinto os olhares desaprovados em minhas costas
É um emaranhado de sons e notas mortas.

Monstro de madeira e marfim
Que faz dar-me o melhor de mim,
Que me seduz apaixonado
Que me reduz a um mero caco.

Não me abandones nessa valsa tão bela
Sei que tu me entende mesmo na ofuscante luz de vela
Se que tu és meu companheiro eterno
Mesmo que amedronte-me, mesmo no inferno.

Aquela voz que fez-me perceber tua sombra
Não és monstro, és fiel, não amedronta
És mais que um, são cromas, são notas vibrantes
São fragemntos de sentimentos oscilantes.

Decepcionei-te, e ainda mais ao meu próprio eu
Que conjurava versos sobre a peça que me doeu
Mas não incomode-se, as besteiras ditas e o quase desistir
A voz, fez-me perceber que as lágrimas não eram de ti.

Deixe-me sozinha um pouco
Antes que o medo seja mais louco
Não te deixarei, piano imortal de vasto som
Me escutar e me apoiar é teu perfeito dom.

Nayara K.

5 comentários:

Mateus Araujo disse...

ownnn Nah
Eu quase chorei com vc vééyy
Se me mata!
Mas vc sabe q é capaz de tudo, como também eu sei que é
Lindo seu poema por seus dons e porque veio especialmente de vocÊ
a menina mais perfeita do mundo...
Bjimm ♥

Mme. Mean disse...

Lindíssimo, querida, parabéns. Aproveito para convidá-la a conhecer o Sombria Elegância, nosso blog de moda e cultura dedicado ao público gótico.

Olavo disse...

Lindo mesmo..sensibilidade e dom seu é absolutamente maravilhoso.
Bjs

A.S. disse...

Lady Byron,

Belissimo Poema!

Tuas palavras fizeram-me imaginar delicadas e sensuais mãos, deslizando sobre o teclado de um piano, fazendo-me ouvir os inconfundivéis sons de uma sonata...


Beijos...

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Suavidade é teu nome.Lindo!
beijos