sexta-feira, 3 de abril de 2009

Mary Shelley

Naquele lago congelado pelo tempo
Amantes pelo primeira vez no véu lento
Talvez o ópio, talvez o absinto que bebeu
Talvez o próprio amor que nos aqueceu.


Éramos dois juntos em um só corpo, alma fadada
Em Missolonghi farei minha última jornada
Não te abalas os comentários das casa que frequenta
Não te calas o sóbrio homem que se ausenta


Oh! na Flor da Beleza arrebatada
Não há de te oprimir tumba pesada;
Em tua relva as rosas criarão
Pétalas, as primeiras que virão,
E oscilará o cipreste em branda escuridão.


Sabemos que o pranto não se oscilará
Algo que atenção a Morte não dará
E feito o malfeito digo do feitio
Resto de pele que a terra encobriu.


Virão as águas da azul fonte
Qubrarão a ruidosa ponte
E ao que me diz ao teu, semelhantemente
É que nos amamos ardentemente
No lago congelado ás beiras do estudo
Converto-me o nada em algo que é tudo.

Nayara K. (Lady byron)
(Baseado no poema "Oh! na Flor da Beleza Arrebatada" de Lord Byron - descrevo aqui, juntamente com o poema, o caso de amor entre Lord Byron e a Mary Shelley, a autora de Frankstein.)

10 comentários:

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

É aqui que encontro poemas lindos, escritos com maestria.
Bom final de semana.
Que canto que não se canta?
Que reza que não se diz?
O céu estava na rua?
A rua estava no céu?
mas o olhar mais azul
Foi só ela quem me dceu!
Mario Quintana.
beijossssssssssss

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

É aqui que encontro poemas lindos, escritos com maestria.
Bom final de semana.
Que canto que não se canta?
Que reza que não se diz?
O céu estava na rua?
A rua estava no céu?
mas o olhar mais azul
Foi só ela quem me dceu!
Mario Quintana.
beijossssssssssss

Mateus Araujo disse...

"No lago congelado ás beiras do estudo
Converto-me o nada em algo que é tudo."
Noooooooooooooooooooooooooo!!!
viajei no devaneio conínuoo "véééii"
skoaksaok
*_*

Nuno G. disse...

visitei o teu blog pela primeira vez e gostei muito... interessante o modo como te inspiras

(www.minha-gaveta.blogspot.com)

A.S. disse...

Um belo e famoso Poema!

Só o amor tem capacidade para converter o nada em algo... que é tudo! Ainda que se ame num lago congelado!...


Beijos...

Cadinho RoCo disse...

o toque do amor a corenteza das carícias.
Cdinho RoCo

Pedro Antônio disse...

Ei, Lady!

Adorei o seu blog! Adorei a sua visita! E adorei saber que você está acompanhando minha Torre!

Voltarei sempre!

Te espero lá!

Um beijãooo!...

Pedro Antônio - A TORRE MÁGICA - www.atorremagica.blogspot.com

Ademerson Novais disse...

Transformar o que esta dentro para o que não existe aqui fora parece tarefa dificil..as vezes quase incansavel de se fazer...mais elas vem, escorrem de nossas mãos e aos poucos o que pareciam apenas existir dentro da gente....se coloca para fora...se espalha e se faz....


Vc é uma escritora que sem medo do que se sabe o coloca com uma facilidade extrema para fora....adoro vir aqui me abster em tuas palavras....frias..mornas...quentes...e avassaladoras....

Ademerson Novais de Andrade

Mateus Araujo disse...

Eu visito por horas blog e blogs
mas o seu é o único na qual eu encontro a Essência!

TEAMO♥

Daniel Braga disse...

Nossa.. que lindo. Escreveu muito bem, você realmente tem talento. Que caso de amor belo. Parabéns.

Até a próxima.. e visite meu blog também.

*DB*