domingo, 28 de junho de 2009

- á ELE, utópico.

A redoma de vidro que te cerca,
Tento retirá-la de você, inútil tentativa
O teu orpo singular, o olhar que me vela,
Me inebria, e me alucina

És doce o jeito que me tratas,
Mas sabe que não seremos unidos
O pior dito é que me matas
Com ssuas vorazes palavas e sons repetidos.

Devem ser os aluciógenos, os remédios incorporados
Deve ser a vida, Oh, meu Deus
Mas é por ti que grito, meus sonhos fadados
Deitando a cabeça sobre os braços meus

Sonhando nossas utopias restantes, sem fim
E das lutas amargas nos retiramos
Ficou apenas, na boca o gosto ruim
Mas no nosso leito, enfim deitamos.

Sonhamos...


Nayara K.
(Lady Byron)

5 comentários:

Olavo disse...

Que sonho maravilhoso...lindo poema moça..
Beijos

Mateus Araujo disse...

Nah! Muito lindo! Cada vez está mais profunda suas posias, como também meu amor por você!
TEAMO
BJO

Ademerson Novais disse...

Sempre nos dando um gostinho que quero mais no final né amiga....parabens pelo texto...


Ademerson Novais de Andrade

Fico muito contente pelas suas palavras tão calidas lá no meu cantinho...adoro muito sua presença e prestigio ainda mais seu dom unico de escrever.....

Daniel Braga disse...

Você ultimamente tem se superado.. está trilhando um belo caminho. tenho adorado ler o que você escreve, mesmo que eu demore um pouco pra responder.

~Até a próxima. Beijos.

*DB*

Jessy Beraldo disse...

amei♥
poesia perfeitaaaaAAAA

PS.:
adorei te conhecer XD
q nem diz o teus "vc eh mara"

bjullss